Portal Minha Vida

Adriana de Araújo colabora com o Portal Minha Vida ajudando muitas pessoas com seus artigos e respostas as perguntas dos leitores. Interaja você também e promova sua cura.minha vida

Conheça 8 ferramentas de cura para sua mente

Praticando as técnicas a seguir você pode ter mais bem-estar e até solucionar melhor seus problemas

São muitas as técnicas existentes hoje que podem lhe ajudar na cura de questões mentais específicas, na melhoria da capacidade de ação, pensamento e bem-estar. Nesse artigo, você aprenderá um pouco sobre algumas dessas ferramentas:

1. Wei Wu Wei

Esse nome oriental pode ser entendido como a "não ação". É um princípio da filosofia taoista, usado como um modo de encontrar equilíbrio e harmonia com o Tao (força que rege o universo e é divida entre o Yin e o Yang). No Wei Wu Wei deve-se agir de acordo com as próprias vontades, respeitando os limites da natureza de cada um, sem tentar ir além disso.

Essa filosofia está muito ligada com a aceitação do momento e do agora: você não precisa mudar as coisas para realizar aquilo que deseja, tudo se encaixa e flui. No entanto, a ideia não é ser passivo diante das situações e sim "agir sem agir".

2. O Poder do Agora

Esse também é nome de um livro, e basicamente representa a capacidade de focar a atenção no momento presente, o agora. Para tanto, é preciso eliminar pensamentos intrusos, ideias inadequadas e diálogos internos repetitivos. Assim a mente é obrigada a deixar para trás tudo que não for o agora. E isso incluí não dar espaço a crenças negativas, aprendizados passados desnecessários, etc. A energia é toda voltada para o presente.

3. Mindfulness

Esse estado de espírito pode ser entendido como atenção plena e desenvolvimento da consciência para o momento presente. Tudo que está havendo aqui e agora com nosso corpo, mente e emoção é de grande valia quando você pratica o mindfulness. É preciso lembrar de estarmos presentes em vez de "viajar" nas ideias e pensamentos. É preciso estar pleno sem julgamento e sendo líder de sua mente.

O grande segredo aqui é a intenção. Observe como sua mente pode levar você a diferentes lugares atrás das ideias, porém o passado já não existe e agora o futuro é apenas uma fantasia. A paz interior vem da compreensão e vivencia dessas ideias.

4. Ciclos ultradianos

Este é um conceito desenvolvido por Ernest Rossi (tive o imenso prazer em ser sua aluna) em que compreendemos que funcionamos em ciclos de 90 a 120 minutos.

Quando pensamos em produtividade, conhecer esse conceito faz toda a diferença. Entre 90 a 120 minutos nossa mente e corpo nos dão sinais de que é preciso descansar e mudar a atividade. Não é apenas desacelerar, mas reorganizar as ações. Ignorar estes sinais pode levar a fadiga, estresse e problemas de diversas ordens. O ideal é uma pequena pausa de 10 minutos ou uma mudança de tarefa que possa descansar a mente.

5. Ócio criativo

Este é o título de uma monografia do cientista italiano Domenico De Masi, propondo que as pessoas incluam momentos de atividades de descansar, lazer e "não fazer nada" em seu dia-a-dia de trabalho e estudo. Criar esses momentos ajuda a melhorar a criatividade e produtividade.

6. Estado de nada sei

Este estado faz parte de uma das técnicas do Novo Código da Programação Neurolinguística (PNL), tendo como cocriador John Grinder (um dos meus grandes professores, pelo qual fui treinada pessoalmente).

Ele que consiste em saber contemplar o momento presente, estar livre de críticas, julgamento, se permitir estar aberto para o novo, curioso com as possibilidades e, assim, criar novos aprendizados.

7. Meditação

Quem nunca ouviu falar nessa técnica? Ela faz parte da tradição oriental, principalmente na ioga e no budismo. É uma ferramenta excelente que produzir bem-estar e cura.

Durante o processo a pessoa deve esvaziar a mente, evitar estímulos e pensamentos, um processo bem complicado e que requer bastante treino. Com isso, a calmaria vem, a mente relaxa e seu cérebro passa a funcionar através de uma melhor forma.

8. Hipnose

Este é um estado de concentração em algo especifico: uma ideia sugerida pelo hipnoterapeuta ou mesmo algo a ser aprendido. Através dessa intensificação cerebral novos aprendizados vão surgindo e sua mente passa a funcionar num novo estado mental produzindo a cura, bem-estar e até libertação de traumas.

Quais os benefícios dessas técnicas?

Todas as essas ferramentas são mágicas para diminuir estresse e proporcionar maior capacidade de centralização das ideias. Os benefícios são enormes para quem pratica, como os seguintes:

  • Paz interior
  • Cura da mente e corpo
  • Soluções para problemas
  • Melhoria na tomada de decisão
  • Sentimento de plenitude.

Quando você muda seu foco de atenção, altera automaticamente a modo de pensar e vivenciar estímulos. Esse novo caminho produz outras conexões neurais que levam a diferentes e produtivos aprendizados. É uma nova forma de ligação entre você e o mundo.

Sua experiência se torna rica, integrada e de grande impacto. Pratique sua concentração e você vivenciará novas condições de bem-estar, desfrutando da agradável sensação de plenitude.

Boa sorte no desenvolvimento da sua concentração, atenção e novos estados mentais para o aqui e agora!

Fonte: http://www.minhavida.com.br/bem-estar/materias/21276-conheca-8-ferramentas-de-cura-para-sua-mente

Veja quais as formas de melhorar sua autoestima

A questão está ligada a como cada pessoa se vê e pode ser trabalhada de diversas formas

Muito se fala de autoestima e pouco se sabe como, de fato, aumentá-la. A autoestima envolve crenças e emoções. O que você pensa sobre você mesmo? O que deseja para você? Como desejaria ser? E como seria se você fosse exatamente como deseja ser? Pense agora como você se sente a respeito disso. Essas e outras perguntas geram pensamentos que criam sentimentos bons ou ruins. Como exatamente você se avalia? Como se julga? Como pensa sobre si mesmo? A forma como cada pessoa pensa sobre si determina o resultado de uma baixa ou alta autoestima. E como você se sente em relação a você mesmo? Quais são seus sentimentos sobre você?

A autoestima também está ligada a características pessoais da personalidade e ser algo permanente ou temporário. Podem ser traços marcantes de como a pessoa se porta, de como ela lida com os próprios sentimentos e com os estímulos externos da vida cotidiana. E também podem ser condições psicológicas momentâneas, um estado específico mediante um fato ocorrido.

Ainda dentro da autoestima podemos pensar sobre três pontos:

 
  • autoimagem – a imagem estética de si próprio
  • autoaceitação – aceitar plenamente a si mesmo com as qualidades e os defeitos. Isso não quer dizer não poder mudar ou não detectar pontos a serem melhorados, é justamente ser capaz de olhar para si mesmo e conseguir aceitar quem se é e buscar sempre o caminho da melhoria continua. Viver é aprender, praticar e mudar quando for preciso
  • autoconfiança – confiar em si próprio, sendo capaz de manter quem se é, de poder mudar quando e se for preciso, de atingir os objetivos desejados. Está também ligado ao poder de desejar aquilo que se pode alcançar, mais cedo ou mais tarde, sendo capaz de sonhar e almejar o que se pode ter.

Pessoas com baixa autoestima têm mais dificuldade em buscar novas ações para a criação de mudanças do que outras pessoas. Quando aspectos negativos são percebidos em suas vidas, quem sofre com a baixa autoestima não consegue achar solução e só vê problemas. Isso acontece justamente porque a pessoa não é capaz de confiar em si próprio para a mudança. E também não se sente capaz de enxergar novas possibilidades de comportamento que possam levar a solução.

De modo geral, quem tem autoestima numa parte da vida, costuma ter em outras, mas isso não é uma regra universal. Por isso, é importante lembrar que o conceito de autoestima deve ser entendido por partes. Nem todas as pessoas não são iguais nos diversos setores da vida. Há quem seja capaz de lidar muito bem com seu potencial profissional, mas não consiga viver bem no setor pessoal, amoroso, por exemplo. Isso pode acontecer, principalmente, quando a pessoa tem experiências reforçadas de resultados satisfatórios ou negativos. A autoestima é constituída pelo que cada pessoa pensa e sente de si própria, mas vale ressaltar que isso acontece também por resultado de experiências vividas.

A percepção que cada um tem de si próprio nem sempre é a mesma que outras pessoas têm. Como cada um se vê pode ser muito diferente de como as pessoas o veem. De qualquer modo, os pensamentos negativos e pouco produtivos costumam ser um bom indício de que as coisas não estão bem dentro de si mesmo e possivelmente pode estar relacionado à questão da autoestima.

Ser capaz de criar metas, sonhar, planejar e atingir os objetivos pode ajudar a fortalecer a autoestima. Mas, isso é uma parte do processo, afinal, ser capaz de acreditar que se pode vencer já faz bem a mente. Por isso, quando os pensamentos são diferentes de coisas boas e saudáveis, o melhor a se fazer é cuidar da expectativa, do que se deseja e espera de si mesmo. O importante é encarar a vida como uma bela escola, cheia de ensinamentos e novidades. O conhecimento de qualquer coisa é assimilado através da repetição e da satisfação de se permitir ser aprendiz.

São diversas as técnicas de terapia que podem ajudar nesse processo de autodescobrimento e autoestima. A psicologia é uma ciência que se ocupa também desse tipo de pensamento e emoção. Hipnose e programação neurolinguistica (PNL) são ferramentas muitos úteis e bem aplicáveis para o propósito de cura e bem estar pessoal. Sucesso e até breve!

Fonte: http://www.minhavida.com.br/bem-estar/materias/16821-veja-quais-as-formas-de-melhorar-sua-autoestima

Minha visão sobre meu corpo é normal?

Muitas vezes a busca por um corpo mais bonito pode ser reflexo de um desequilíbrio

Cuidar da saúde do corpo e da mente é fundamental para o um bom equilíbrio e qualidade de vida. Ter um plano de alimentação, prática de esportes e cuidados para o bem-estar emocional pode ajudar bastante no sucesso e realização pessoal. Mas se perder nas próprias críticas, exagerando nas análises podem levar a tristeza e sensação de infelicidade. E é tudo que, certamente, você não quer.

Pense um pouco em que grupo de pessoas você está:

1) Entre aquelas que buscam saúde, harmonia e felicidade. Pessoas que fazem isso de forma consciente, olhando para si mesmas com coerência e agindo de forma saudável para as mudanças e ações necessárias. Se, estão, por exemplo, acima do peso, buscam rapidamente uma orientação e põe em prática nova forma de alimentação saudável, física e psíquica para atingir seus objetivos com prazer.

2) Entre aquelas que sempre olham para o próprio corpo de forma crítica, achando defeitos de forma compulsiva e buscando corrigi-los sem análise dos riscos envolvidos. Ou seja, a busca pela perfeição é estética e não pela saúde e bem-estar geral. Buscam tratamentos de mudanças rápidas sem critério para avaliar os riscos ou contraindicações.

Se você acha que pertence ao segundo grupo, eu questiono: isso lhe parece normal, ou você percebe como sendo um problema?

De fato, o problema está em tudo que se faz de forma compulsiva. Quando há um desequilíbrio e uma falta de avaliação de riscos para obter satisfação é quando tudo está fora do eixo. Essa eterna insatisfação com o corpo se toma negativa quando quem busca o corpo perfeito não quer ?pagar? o preço do cuidado diário e assim corre sérios riscos de ação impensada e de baixo resultado a longo prazo. Você deve estar sempre atento a:

  • Alimentação
  • Saúde física
  • Saúde mental
  • Higiene
  • Atividade física
  • Atenção individual as suas próprias necessidade.

E essa atenção não tem como base seu modelo de visão, mas de um especialista, alguém capacitado para avaliar e lhe ajudar nas escolhas. A mudança para o alcance do corpo saudável e esteticamente interessante é um trabalho feito com dedicação, diário e com avaliações constantes.

Quem tem essa visão crítica e insatisfação exacerbada com o próprio corpo, agindo e percebendo-se de forma distorcida, prejudica o seu próprio dia a dia quando:

  • Deixa de conhecer pessoas novas, por medo do julgamento do outro
  • Perde prazos e se perde no tempo na busca da perfeição estética
  • Deixa de fazer atividades por medo de não ser capaz
  • Não sai de casa, por vergonha do próprio corpo.

Quando a vida fica estimulada e voltada para o controle do corpo e outras áreas da vida ficam perdidas no tempo e espaço, podemos entender isso como sendo um grande problema. A vida está prejudicada.

Uma forma de conseguir ter uma visão mais amigável do seu próprio corpo é buscar ajuda profissional e manter as áreas da vida em equilíbrio, como a família, trabalho ou escola, lazer, amigos, prática de esportes, etc.

Um bom exercício a ser feito é:

1) Avalie quantas horas por dia você se dedica a essa analise corporal; 2) Avalie se suas críticas são motivadoras e estimulam novos hábitos saudáveis; 3) Perceba se o que você faz, suas ações para correções corporais correm risco de fazer mal a sua saúde de alguma forma.

Técnicas de programação neurolinguistica (PNL), EMDR, coaching de vida, sessões de psicoterapia são bem-vindas na cura e equilíbrio. Consulte um profissional qualificado para lhe ajudar se for preciso.

Sucesso e até breve!

Fonte: http://www.minhavida.com.br/bem-estar/materias/21057-minha-visao-sobre-meu-corpo-e-normal

Você tem dificuldade de se impor?

Veja formas de resolver esse problema. Dificuldade em estabelecer limites pode prejudicar relações pessoais e de trabalho.

Todo relacionamento saudável necessita de uma boa dose de comunicação e também de limites. Por isso, saber se impor, aprender a falar não, conseguir dar limites ou mesmo não deixar que as pessoas invadam seu espaço é uma tarefa fundamental, porém árdua para alguns. Há quem faça com leveza e maestria, mas não são todos que já nascem sabendo solucionar essas questões. Mas o bom disso tudo é saber que se pode aprender a qualquer momento e em qualquer idade. Ainda bem que temos todo tempo do mundo para nos aperfeiçoarmos com isso.

O problema maior acontece quando uma pessoa sofre por não conseguir expressar aquilo que quer e precisa para os outros. Como cada um tem uma história de vida, um aprendizado, uma vivência, a questão de limites não é tão óbvia assim, é preciso uma boa dose de expressão para que as pessoas consigam se entender e respeitar os outros.

Quem não sabe dizer não, por exemplo, numa relação profissional, acaba cedendo o tempo todo, passando por cima de si próprio e dos seus limites. Quando alguém lhe pede alguma ajuda ou a atenção para execução de uma tarefa, sendo que não há tempo hábil para isso pelo acúmulo de outros serviços, quem não sabe dizer não acaba dizendo sim, mesmo prejudicando claramente a si próprio. O resultado é o acumulo de serviço, poucas horas livres, cansaço e estresse pelo excesso de trabalho e algumas pessoas relatam, também, sentir-se tristes, irritadas e de mau humor por não conseguirem se impor e mudar o rumo da situação. Outras pessoas chegam a sentir raiva de quem pediu o serviço ou a ajuda, atribuindo ao outro o problema em vez de perceber a própria dificuldade em comunicar aquilo que precisa.

Essa dificuldade de dizer o que pensa, evitar dizer não, normalmente está ligada a alguns pontos psicológicos:

  • Baixa autoestima
  • Medo de perder o contato e/ou amizade
  • Medo de ser rejeitado
  • Receio de ser demitido ou do termino de uma relação
  • Não saber negociar e por isso não ter estratégia para lidar com a situação

A solução deste problema está em curar a ansiedade e as fantasias que cada um tem sobre si e sobre os outros.

Um bom exercício a ser feito em paralelo a um tratamento é escrever quais são os reais acontecimentos que estão no momento incomodando e necessitam de mudanças, falar não, se impor, etc. Depois escrever as soluções que sejam possíveis, viáveis e saudáveis para cada situação.

Lembre-se de escrever pelo menos três possíveis formas de resposta. Como não existe verdade absoluta, nesse caso, também não existe uma única resposta ou um único caminho de ação. O cuidado nesse momento é justamente não ir para o extremo oposto, afinal, quem não sabe falar o que pensa, pode erroneamente achar que falar tudo é a solução. Ninguém se dá bem com quem não tem limites, pois quem não se impõe é um pouco submisso, mas quem só diz o que pensa é considerado por muitos uma pessoa extremamente agressiva. Desejo a você todo cuidado para encontrar o equilíbrio.

Agora entenda o que falta para você agir. Se for medo, seu trabalho deve ser na cura do medo, se for dificuldade de expressão, trabalhe sobre esse ponto. Entenda o que te impede de seguir com suas ideias listadas e se esforce para encontrar a situação viável para suas novas ações. Sucesso e até breve!

Fonte: http://www.minhavida.com.br/bem-estar/materias/18040-voce-tem-dificuldade-de-se-impor-veja-formas-de-resolver-esse-problema